IACM realizou inspecção a produtos de carne enlatada

Data de Publicação: 20/06/2017

No seguimento do caso detectado pelo Conselho dos Consumidores de Hong Kong sobre a presença de excesso de sulfadimidina (Sulfadimidine), um tipo de resíduo de medicamentos veterinários, numa amostra de um produto de carne enlatada, o Centro de Segurança Alimentar do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) tomou uma série de medidas de acompanhamento e seleccionou e testou três lotes diferentes de produtos de carne de porco enlatada da marca Maling (Maling premium pork luncheon meat) à venda no mercado local, não tendo verificado quaisquer anomalias em todas elas. Para além disso, o registo da inspecção regular em relação aos produtos importados também não mostrou quaisquer anormalias nos produtos dessa marca.

Para acompanhar este caso, o IACM entrou em contacto com os fornecedores que comercializam produtos de carne enlatada da marca Maling no território, com o objectivo de se inteirar sobre o seu fornecimento e venda no mercado da RAEM. Como medida de prevenção, o Centro de Segurança Alimentar do IACM seleccionou três lotes de produtos de carne enlatada da marca em questão para testar os níveis de sulfadimidina, não tendo sido detectado qualquer excesso do limite estipulado no Regulamento Administrativo n.º 13/2013, «Limites máximos de resíduos de medicamentos veterinários nos alimentos» da RAEM. A par disso, os produtos alimentares derivados de animais e plantas aquando da importação para a RAEM estão a sujeitos à inspecção sanitária. Não foram encontradas quaisquer anormalias nos produtos importados dessa marca, de acordo com o registo da inspecção regular do corrente ano.

A aplicação de antibióticos na alimentação dos animais destinados ao consumo permite um controlo e um tratamento de várias doenças infecciosas. No que diz respeito à aplicação de sulfadimidina, para se conseguir uma manutenção eficaz da saúde dos animais esta substância deve ser utilizada consoante as disposições permitidas e de forma razoável, assegurando, assim, um consumo seguro por parte dos humanos. De um modo geral, as carnes processadas contêm mais gordura e sódio. O Centro de Segurança Alimentar relembra o público para adoptar um consumo destes produtos em quantidades adequadas e uma dieta equilibrada.