IACM suspende venda e consumo de bebida suspeita proveniente da Malásia

Data de Publicação: 15/08/2017

O Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) está atento à recolha de cinco tipos de bebidas concentradas da marca Ribena produzida na Malásia, por suspeita de defeitos na embalagem. Este Instituto já destacou pessoal para proceder a uma inspecção no mercado local e verificou a existência de estabelecimentos que vendem os referidos produtos, tendo emitido um alerta alimentar ao sector para suspender a venda e armazenamento dos lotes afectados. O IACM também apela ao público para suspender imediatamente o consumo destes produtos.

Através do sistema de supervisão de incidentes alimentares, o IACM tomou conhecimento que os cinco tipos de bebidas concentradas provenientes da Malásia têm defeitos na embalagem que podem provocar estragos nos produtos. Por este motivo, foi decretada a necessidade de recolha dos referidos produtos. Os sabores destas bebidas concentradas que registaram problemas são os seguintes:

1.          Todos os produtos embalados RIBENA® Concentrate Blackcurrant & Strawberry com data limite de consumo até Fevereiro de 2018;

2.          Todos os produtos embalados RIBENA® Concentrate Blackcurrant & Apple com data limite de consumo até Maio de 2018;

3.          Todos os produtos embalados RIBENA® Concentrate Blackcurrant & Glucose com datas limites de consumo entre Maio e Agosto de 2018;

4.          Todos os produtos embalados RIBENA® Concentrate Blackcurrant com datas limites de consumo entre Maio e Agosto de 2018;

5.          Todos os produtos embalados RIBENA® Concentrate Blackcurrant & Blueberry com datas limites de consumo entre Fevereiro e Março de 2018.

O Centro de Segurança Alimentar do IACM já tomou medidas imediatas de acompanhamento do caso para entrar em contacto com o sector e divulgar as respectivas informações, tendo destacado pessoal para se deslocar aos estabelecimentos comerciais para divulgar as medidas de suspensão de venda e armazenamento. A par disso, o Centro emitiu um alerta alimentar para informar os fornecedores para suspenderem a distribuição de todos os produtos suspeitos. O IACM irá continuar a acompanhar de perto o incidente e tomar as medidas necessárias para assegurar a segurança alimentar em Macau.