Controlo provisório do tráfego em coordenação com a obra de drenagem da nova estação elevatória de águas residuais na Rotunda Ouvidor Arriaga e da zona ao redor

   
Data de Publicação: 04/08/2017

Com vista a melhorar a insuficiência da capacidade de escoamento actual da Taipa, o IACM está a construir uma nova estação elevatória de águas residuais na Rotunda Ouvidor Arriaga, a sua estrutura principal está basicamente concluída. Para adaptar o sistema de drenagem circundante ao funcionamento desta nova construção, a rede de esgotos da própria Rotunda e da zona em redor deve ligar-se a esta nova estação elevatória. Assim sendo, solicitamos a atenção da população para o controlo do tráfego neste local desde 6 de Agosto (Domingo).

Face ao desenvolvimento social e ao aumento populacional da Taipa, a capacidade de tratamento de canos de esgotos subterrâneos da zona sofre enorme pressão, as capacidades de escoamento das estações elevatórias de Va Nam (ET5) e da antiga fábrica de panchões (ET1) são insuficientes para atender às necessidades, os canos de esgotos subterrâneos têm envelhecido ou estão danificados por sobrecarga, o que causa impacto na vida dos cidadãos. Com base nisso, o IACM está a construir uma nova estação elevatória de águas residuais na Rotunda Ouvidor Arriaga, que se liga aos canos reservados de estação elevatória na Estrada Coronel Nicolau de Mesquita, para reduzir o deficiente funcionamento da rede de intercepção de águas residuais motivado pela insuficiência da capacidade de escoamento actual. Após a conclusão da obra, a nova estação elevatória irá substituir as estações elevatórias de Va Nam e da antiga fábrica de panchões e a capacidade de tratamento de águas residuais será aumentada em cerca de 40 por cento.

    A nova estação elevatória de águas residuais tem uma área de cerca de 340 m2 e uma profundidade de cerca de 10 m, com espaço reservado para a construção eventual de passagem superior para peões, viaduto ou túnel. A nova construção tem dois andares, um no rés do chão e um subterrâneo, está equipada com sala de transformador, sala de interruptor e sala do gerador, assim como três bombas centrífugas (duas em funcionamento e uma para reserva). A fim de coordenar com a paisagem em redor, a nova estação elevatória adopta uma concepção desnivelada para que apenas cerca de 1,5 a 1,8 metros da construção fique acima da área verde.

Devido aos vários cabos e condutas enterrados, instalados por diversas concessionárias na Rotunda Ouvidor Arriaga, é necessário efectuar antes da realização de obra, a transferência desses cabos e condutas actuais, que incluem os que principalmente abastecem água e electricidade para toda a Taipa. Sendo a localização da construção da obra, um centro modal de transporte, durante a execução da obra, é preciso manter uma circulação fluente nas vias, bem como um funcionamento normal desses cabos e condutas de diversas concessionárias e das redes de esgotos, deste modo, assegurando a sua utilização dos cidadãos. Por este motivo, esta obra da transferência exige uma realização muito rigorosa, e cria grandes dificuldades. Por outro lado, com o intuito de conjugar com o funcionamento da nova estação elevatória de águas residuais, há também necessidade de reordenar as redes de drenagem públicas, na Rua Fernão Mendes Pinto, Avenida Olímpica e Avenida Dr. Sun Yat-Sen, entre as quais, inclui ainda a nova rede na Avenida Olímpica com profundidade de 7 metros, o que aumenta ainda as dificuldades na obra.

Logo após a conclusão da transferência dos cabos e condutas enterrados no ano passado, deu-se início à colocação de estacas moldadas e, procedeu-se logo a seguir, à escavação e aos respectivos trabalhos de escoras. No momento, a estrutura principal da estação elevatória já foi praticamente concluída, a benfeitoria interna e a montagem de equipamentos electromecânicos serão acabadas no fim de Agosto. Em sintonia com o futuro funcionamento da nova estação elevatória de águas residuais, torna-se necessário proceder à ligação das actuais redes de esgotos na vizinhança a esta nova estação. A obra da rede de esgoto na Rua Direita Carlos Eugénio foi iniciada no início de Junho, e que já foi concluída em meado de Julho. Por ora, apenas a obra das redes de esgotos que se prolonga da Rotunda Ouvidor Arriaga até a Avenida Olímpica, junto ao Edifício Industrial Va Nam, e a parte da obra na Rua Fernão Mendes Pinto, aguardam a sua conclusão. Procuramos o acabamento de toda a obra no quarto trimestre do corrente ano.

    Para articular com as obras a decorrer nesta fase, o IACM e a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT), definiram que o troço da Avenida Olímpica, junto à Rua de Fernão Mendes Pinto (em direcção ao Estádio da Taipa) ficará vedado ao trânsito a partir de 6 de Agosto (Domingo) até 30 de Setembro (Sábado). Com isto, o troço em direcção à Rotunda Ouvidor Arriaga passará, provisoriamente, a funcionar com dois sentidos de circulação.

Relativamente ao troço da Rua de Fernão Mendes Pinto, entre a Avenida Olímpica e a Rua do Supico, o local continuará sem saída até 21 de Setembro (Quinta-feira), pelo que os motociclos e ciclomotores, bem como os veículos ligeiros, devem percorrer a Rua do Supico para se dirigirem à Rua Direita Carlos Eugénio.

Mais se acrescenta que algumas carreiras e paragens de autocarros serão, com base nas actuais alterações provisórias, novamente ajustadas. Serão fechadas, a partir das 10h do dia 6 de Agosto (Domingo) as paragens “Avenida Olímpica” e “Kings Ville”, sendo acrescentada uma nova paragem provisória na Avenida Dr. Sun Yat Sen, perto do posto de abastecimento de combustível. A actual paragem provisória da Avenida Olímpica, situada perto da Rua Ponte Negra, continuará em funcionamento. Durante o decorrer das obras, as carreiras n.os 11, 15,22, 25X, 26, 26A, 28A, 30, 33, 34, 35, 37, MT1, MT3 e N2 também precisarão de alterar os seus itinerários e mudar a localização da paragem para fazer escala (vide o anexo).

O IACM e a DSAT irão acompanhar de perto a situação da execução das obras, assegurando uma boa coordenação, em ordem a minimizar o impacto causado ao trânsito e aos utentes da via. Solicitamos a compreensão dos residentes para a necessidade da realização das obras e a sua atenção para os diversos condicionamentos provisórios de trânsito, no sentido de planear, o mais cedo possível, as suas deslocações, para evitar qualquer atraso.