IACM continua a acompanhar caso de carne suspeita do Brasil

Data de Publicação: 22/03/2017

Tendo em consideração as medidas de prevenção da segurança alimentar, Macau suspendeu temporariamente os pedidos de importação de carnes congeladas e refrigeradas originárias do Brasil, aguardando agora por informações oficiais mais actualizadas. O Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) reitera que se trata apenas de uma medida preventiva. O IACM irá reforçar a fiscalização do mercado local, tomando como referência as medidas internacionais de controlo e prevenção.

Quanto às 21 empresas que se encontram sob investigação das autoridades brasileiras, o IACM já notificou os estabelecimentos que se dedicam à importação por grosso e estabelecimentos de venda a retalho que caso detectem produtos de carne provenientes das referidas empresas devem retirá-los do mercado e selá-los de acordo com as instruções deste Instituto. O IACM tem contactado de forma activa as entidades brasileiras para obter mais informações sobre este caso. Tais informações irão ser publicadas na Rede de Segurança Alimentar do IACM para que o público possa acompanhar o caso em tempo real.

Além disso, o IACM está em estreita ligação com as autoridades brasileiras e o sector de Macau. Caso se confirme que a carne suspeita já entrou em Macau, este Instituto irá tomar medidas imediatas. De acordo com o mecanismo de inspecção sanitária de produtos alimentares importados para o Território, para além de ser obrigatório apresentar um certificado sanitário válido emitido pelo país ou região exportadora, aquando da importação de um produto também se procede à sua verificação in loco. Caso se verifique que a carne não corresponde aos padrões de qualidade estabelecidos e que não é adequada para consumo humano, esse produto não recebe autorização para entrar no território, por forma a impedir a sua circulação no mercado e assegurar a segurança alimentar dos consumidores.