IACM analisa fórmulas para lactentes à venda no mercado

Data de Publicação: 15/06/2017

Com o objectivo de conhecer mais sobre a segurança dos preparados para lactentes, o Centro de Segurança Alimentar do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) testou 25 amostras de fórmulas de leite infantis à venda no mercado local para detectar a presença de microrganismos patogénicos e aferir a sua composição nutricional, não tendo sido encontrada qualquer anomalia.

Os preparados para lactentes são produtos destinados ao consumo destes, sob a forma de pó ou líquido, como substituto do leite materno humano, e fabricados especialmente para alimentar desde recém-nascidos até que iniciem a alimentação complementar adequada. Quando a mãe de uma criança é incapaz ou não pode fornecer leite materno, há que recorrer ao leite artificial ou usá-lo como complemento da amamentação. Assim, as condições de higiene e a composição nutricional da fórmula de leite para bebés são essenciais para o seu desenvolvimento saudável.

O IACM recolheu amostras de preparados para lactentes de diferentes marcas e de várias lojas, supermercados e farmácias em várias zonas de Macau, cujos países de origem incluem França, Holanda, Suíça, Alemanha, Irlanda, Espanha, Nova Zelândia e Austrália. As amostras foram testadas quanto à presença de microrganismos patogénicos e em termos de composição nutricional e nenhuma mostrou qualquer anomalia.

 

O Centro de Segurança Alimentar lembra aos consumidores que devem comprar preparados para lactentes apenas de lojas de confiança, verificar sempre o seu prazo de validade e se as embalagens estão intactas. Os produtos devem ser armazenados de acordo com as instruções no rótulo. Uma vez abertas as embalagens, os alimentos devem ser consumidos prontamente. Os consumidores devem seguir detalhadamente as instruções de preparação do leite infantil em pó e deixar esfriar até à temperatura apropriada antes de dar ao bebé. Em caso de dúvida sobre a qualidade de um produto, nunca se deve comprar nem consumir. Quanto aos produtos de leite artificial para bebés doentes ou com condições médicas especiais, procurar sempre conselho médico antes de os comprar ou utilizar para a alimentação.

 

O Centro de Segurança Alimentar aconselha os sectores envolvidos a encomendar os preparados para lactentes de fornecedores de confiança, assegurando-se que as diferentes etapas no seu transporte e armazenamento respeitaram os requisitos de higiene e segurança alimentares. Após a entrega, os produtos de fórmula de leite infantil devem ser guardados e exibidos em montra de forma adequada. Os operadores também são obrigados a manter em lugar seguro os registos de entrada e saída de mercadorias ou os respectivos documentos das transacções, a fim de facilitar às autoridades competentes o rastreamento da origem dos produtos alimentares e a sua distribuição, sempre que seja necessário. No caso de dúvidas sobre a qualidade de um produto cuja embalagem está danificada ou a embalagem metálica esteja deformada, este não deve ser comercializado. Desde que entraram em vigor o Regulamento Administrativo n.º 16/2015 – Limite de Microrganismos Patogénicos em Fórmulas Infantis para Lactentes e o Regulamento Administrativo n.º 28/2016 – Requisitos Relativos aos Ingredientes Nutritivos dos Preparados para Lactentes, os operadores devem processar os seus pedidos de importação conforme o requerido e prestando atenção ao seu conteúdo.

Os resultados dos testes já estão disponíveis na página electrónica da Informação sobre Segurança Alimentar (www.foodsafety.gov.mo) e a respectiva aplicação móvel, onde podem ser consultados pelo público para mais informações, e pelos operadores para se guiarem pelos Regulamentos Administrativos acima mencionados.