IACM optimiza instalações pedonais livres de barreiras arquitectónicas

   
Data de Publicação: 30/03/2017

O Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) tem vindo a optimizar as instalações de passeios livres de barreiras arquitectónicas, reordenando e aperfeiçoando os passeios em diversas zonas e escolhendo locais adequados para a colocação de pavimentos tácteis. Após ter conhecimento de algumas opiniões de cidadãos que davam conta de instalações com capacidade antiderrapante insuficiente e de falta de pavimentos podotácteis em algumas intersecções, o Instituto efectuará uma revisão e dará tratamento a essas situações, a fim de criar um ambiente sem barreiras de melhor qualidade.

Nos últimos anos, o IACM desenvolveu, respectivamente, a obra de colocação de pavimentos tácteis na periferia do Centro de Cegos de Fai Chi Kei e efectuou a obra de reordenamento para passeios da Avenida do Coronel Mesquita, obra de embelezamento da zona envolvente do Mercado Iao Hon, obra de Embelezamento de Passagens de Peões junto do Edf. Nam Wa San Chun na Zona de Aterro da Areia Preta, obra de melhoria dos passeios na Avenida do General Castelo Branco, com o objectivo de optimizar, de forma integral, as instalações sem barreiras arquitectónicas. Actualmente, o IACM está a proceder à obra de melhoria do acesso a deficientes na Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, que passa, principalmente, por rever as intersecções situadas em todas as passadeiras para peões, minimizar as diferenças de altura entre os pavimentos dos passeios e as faixas de rodagem, transformar as escalas em encostas, instalar corrimões, bem como reparar pavimentos de passeios desiguais para facilitar a circulação dos utentes em cadeira de rodas e com deficiência motora, e disponibilizar “pavimentos de alerta” que servem de guia para deficientes visuais nas intersecções para os alertar de que se encontram numa interseção e lhes garantir segurança na via.

Os ladrilhos tácteis adoptados revestem-se, no geral, de 3 tipos: “ladrilho de direcção”, com fitas paralelas e de saliência, que permitem aos utentes identificar o caminho seguro; o “ladrilho de posição”, com pequenos pontos salientes (de 23 milímetros de diâmetro), instalados no local onde os “ladrilhos de direcção” se juntam, para, deste modo, revelarem mudanças de direcção; e o “ladrilho de alerta de perigo”, com pontos salientes maiores (de 35 milímetros de diâmetro), colocados paralelamente na orla do pavimento e de modo quadrado para indicar pontenciais riscos. Os ladrilhos tácteis são de material cerâmico, submetidos a teste de antiderrapagem num estilo de encosta, de DIN51130 – 2004 de critério alemão, cujos relatórios manifestam que os ladrilhos tácteis adoptados atingiram já o nível antideparragem de R11, pois, colocados no pavimento, permitem um coeficiente angular de 27 graus, bem como pavimentos menos escorregadios.

         No tocante às opiniões que, recentemente, deram conta de existirem algumas intersecções nas encostas de pavimentos tácteis relativamente derrapantes durante dias de chuva, o IACM levará a efeito uma respectiva revisão e tratamento a essas referidas situações e, caso necessário, realizará a substituição por pavimentos tácteis com um nível de antiderrapagem mais elevado e estudará a adopção no futuro de pavimentos tácteis com melhor antiderrapagem e material, a fim de propiciar aos cidadãos um ambiente pedonal livre de barreiras, seguro e de qualidade.